segunda-feira, 2 de março de 2009

Quando não se pode perdoar*



A semana começou pra mim com uma notícia que me faz ter um pouco menos de fé nas pessoas: a Rihanna e o Chris Brown estão se reconciliando. Até aí você pensa: o que eu tenho a ver com isso? Tudo! Essa moça foi espancada por esse rapaz a ponto dos vizinhos chamarem a polícia. E agora ela volta com o agressor. Quando deveria justamente fazer o contrário. Agarrar com toda força no pescoço da dignidade e sair a galope desse relacionamento.

Sei que esse é um assunto tenso. E que as vítimas de agressão muitas vezes não conseguem sair disso por motivos que passam longe do que é certo ou errado. "Mas ele jurou que vai mudar". Ahã!

Mas o que não dá é fingir que não acontece. E achar que um tapinha não dói. Até porque a agressão começa quilômetros antes do tapa na cara. Por isso, quando li o post da queridona *Gabi Bianco, decidi engrossar o coro.

"Não fiquem caladas. O silêncio é a maior arma que os agressores têm. Denuncie. Brigue. Peça ajuda. Não deixe de se afastar de um homem que bata em você. Não há desculpa pra bater na muler. Nem um tapa, nem um empurrão. Não importa se ele bebeu, se ele estava nervoso, se ele perdeu o emprego ou se o time dele perdeu o jogo. Denuncie. Nada é desculpa.", by Gabi

5 comentários:

.duas doses de desdém disse...

Pra mim isso é falta de amor próprio!

Elaine disse...

existe muita muler que acha normal se submeter às "correções" dos homens com quem convivem.

ah... e também tem a mulher de bandido, né?

capricha, chohhanna. depois não sabe porquê.

Cãmi disse...

Só posso concluir uma coisa: ele bateu pouco. Quem sabe se ela tivesse apanhado ainda mais, aprendesse que não se namora esse tipo de homem. Aliás, não se deve dar OI pra esse tipo de homem.

gremunhoz disse...

Simplesmente porque ela não se ama darling. A gente tem que continuar insistindo, mas às vezes essas pessoas se voltam inclusive contra nós. E aí babe, só uma boa terapia, you know, quando a pessoa se dispõe a fazer. Temos casos mais próximos que o dessa moça, desafortunadamente. Vibremos por ela!

Joaninha disse...

E eu jurando que, tão logo se recuperasse, ela iria ao sofá da Oprah fazer um apêlo às mulheres para ficarem alertas aos sinais de que o homem que está ao seu lado pode ser violento.

Tsc, tsc, tsc...