sábado, 14 de março de 2009

Parada no farol (verde)

Às vezes sinto que estou parada no farol. Não porque ele está fechado, proibindo minha passagem. Tá verde. Mas por algum motivo empaco.

Seja porque um mané fechou o cruzamento (achando que só ele no mundo quer chegar a algum lugar), seja porque o carro morreu e eu não consigo ligar. Ou simplesmente porque tudo está parado também até onde a vista pode alcançar.

E assim o farol abre e fecha e eu não consigo sair do lugar. Durmo, acordo, leio, mastigo e torno a dormir. E ainda me vejo parada no mesmo quarteirão. Nada se move entre o lugar da onde vim e onde quero chegar.

Sensação horrorosa essa de estar travado.

Mas uma hora sempre anda. Tem que andar. E com o tempo aprendo caminhos alternativos e outros meios de transporte. E mesmo que me perca, vou me movimentar.

6 comentários:

bjomeliga disse...

O pior disso tudo é que a esquina tá bem ali do lado, mas a gente não consegue dobra-la. Uma coisa mais empacada que jegue teimoso.

RodOgrO disse...

Cara, eu estava me sentindo assim há pouco tempo atrás. Mas qdo analisei as coisas, percebi que era porque estava adiando uma decisão importante e dolorosa - qdo tirei isso do caminho, as coisas desempacaram! =)

Elaine disse...

saudade, amora.

desce um pouco do carro e vamos tomar uma cerveja?

:]

gremunhoz disse...

Velinha roxa pro anjo Uriel, pedindo que ele abra os caminhos e afaste os tranca-rua. ;-)

gremunhoz disse...

Ah, e o primeiro passo foi dado. DISCIPLINA. Fique firme nela, que tudo mais será acrescentado!

Marcos disse...

Esse sentimento é a letra de uma música que adoro da Aimee Mann:

It's Not

I keep going round and round on the same old circuit
A wire travels underground to a vacant lot
Where something I can't see interrupts the current
And shrinks the picture down to a tiny dot
And from behind the screen it can look so perfect
But it's not

So here I'm sitting in my car at the same old stop light
I keep waiting for a change but I don't know what
So red turns into green turning into yellow
But I'm just frozen here on the same old spot
And all I have to do is to press the pedal
But I'm not

People are tricky you can't afford to show
Anything risky anything they don't know
The moment you try - well kiss it goodbye

So baby kiss me like a drug, like a respirator
And let me fall into the dream of the astronaut
Where I get lost in space that goes on forever
And you make all the rest just an afterthought
And I believe it's you who could make it better
Though it's not
No it's not...
No it's not...