terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Sem título

Só queria dormir. Com a luz apagada e a TV desligada só o reflexo da noite e o barulho da chuva fina. Que noite incrível de quase verão. Entre bobagens, vem algo que volta e meia me encontra no travesseiro. Não, não é ruim, é apenas uma ausência que às vezes se deita ao meu lado quando tudo dorme fora de mim.

Não se trata de perda, muito menos de dor. É apenas ausência. A falta que faz sentir. Sentir o cheiro, o peso, a vontade. Abraçar a saudade, a raiva e a ansiedade. Ter medo, ciúmes e uma certeza intocável de exclusividade.

Ah, e é claro, a cumplicidade. Aquela que só dois conseguem ter. Não porque se fundem, mas porque se aprofundam. Tanto e tão, que se é capaz de mostrar-se feio cada um. E se mostra. Mesmo sabendo que o feio, feio o é de fato.

E acho que no fim das contas todas as buscas se resumem nisso. Até para os mais distraídos e os de menos boa vontade. O desejo extremo de sentir. Pra simplesmente sentir, bem lá no fundo, que está vivo. E assim deitar-se e refastelar-se na cama, mais uma vez, sentindo.

Ah! Tô meio Paulinho hoje. Aliás, ouçam!

8 comentários:

Cãmi disse...

"Onde a dor não tem razão."
Que lindo! Amei.
<3
bjos

gremunhoz disse...

Miga, isso não é post, isso é POESIA. LINDOOOO!

Pedro Spoladore disse...

Você escreve muito bem, adorei seus posts. Te achei numa blipada, hehe. =D

Babi disse...

Pois é. É sempre assim, todo mundo em busca disso que chamamos de relacionamento. De fato faz falta...

Marcos Laercio disse...

Isso so me faz ter certezza que odeio casais felizes...;)

Marcos Laercio disse...

Ranzinzices a parte...lindo o texto!Quase até me fez sair da minha fase matadouro...

bjomeliga disse...

Depois eu que escrevo bem, me poupe!
Muito lindo e muito compreensível.
Beijos sem ressaca
:)

Luiz com Z disse...

"Que noite incrível de quase verão. Entre bobagens, vem algo que volta e meia me encontra no travesseiro." Belamente iterário. :) Colei aqui. Blipper greetings!