quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

De repente 30?

Um dia você acorda e está com 30 anos. E não há nada que possa fazer pra mudar isso. Mas a parte boa é que você nem mudaria se pudesse.

Você apenas olha pra traz e se vê. Aos 10, 15, 20, 25 e em todos os outros anos menos redondos que esses. E bate uma saudade, uma nostalgia e até uma ponta de melancolia.

E consegue mesmo ver tudo, de ruim e de bom. Cada erro, cada acerto, cada escolha que te trouxe até aqui. E se envergonha de si, mas também se orgulha. Com o dia que dançou quadrilha com o primeiro amor e com o tombo de bicicleta na ladeira depois de brecar com o freio da frente.

Lembra quantas vezes chorou por não se sentir suficiente para o mundo, mas também sorriu por ver que o mundo não lhe bastava. Sente uma gratidão profunda, quase feliz, por cada um desses fragmentos. Mas nem por um segundo trocaria o hoje pra retornar.

É assim que chego aos tão simbólicos 30 anos. Não de repente, porque cada ciclo foi vivido sem cortes. Meio confusa com o que virá, porém, com muito mais força e expectativa de continuar.

E agora, com a alma um pouco mais velha e o corpo mais calmo, sigo com uma vontade que só cresce e pra diferentes rumos. E constato que aqui também se sonha. E que também é bonito. E aposto comigo mesma, só pra pagar pra ver, que nunca passa.

4 comentários:

Cubo Card disse...

Você é a coisa mais linda do mundo!
*

raphaximenes disse...

ÊÊÊ!
Feliz aniversário! Feliz Natal! E tudo mais de bom que vc desejar!
Muitos beijos!

Pataca disse...

Nem me fala...
Feliz aniversário, Feliz Natal e tudo de bom em 2009. Desejo menos senilidade procê no ano que virá! rs...
Beijos!

paula... disse...

haha... passei dos trinta tb e essa nostalgia toda aparece mesmo. e também alguns fios brancos. mas é bom! toda idade tem sua beleza e sua tristeza... parabéns pelo aniversário (atrasado) e pelos ótimos textos!