segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Na nóia do Blip

Eu nóio. Sim, quem me conhece um pouco sabe. Quando eu entro numas com alguma coisa é foda. Eu fico naquilo há de eterno. Isso vale pra quase tudo: comidas, roupas, baladas, objetos, tecnologias...

Daí que agora a minha nóia se chama Blip*. É tipo um Twitter, só que você pode mandar além da micro mensagem, uma música. Gente, é tipo a melhor invenção depois da roda. Viu! Não falei que eu tava na nóia?

É que eu sempre achei que a vida tem trilha sonora. E quando conheci a Lady ela me tirou de anos de solidão mental batizando esse problema de taguear músicas na cabeça de Jukebox do Inferno.

E agora, o Blip me faz ficar emocionada. Porque é a ferramenta que precisava para exercitar a Jukebox do inferno na prática e na íntegra. Tipo, você pensa na música vai lá blipa. Se for boa fica ouvindo forever, se for ruim ela sai da sua cabeça para a virtualidade. É incrível!

Sem contar que você vai juntando listeners, que são pessoas que gostam de ouvir e de blipar coisas afins. E isso tb mudou um aspecto da minha vida: fazer amigos online. Eu nunca tinha feito isso. Mas com o Blip é como se as pessoas andassem com uma placa descrevendo o seu perfil na rua. Têm vários @'s na minha vida que até um mês não existiam. E como se viessem com pedigree.

Se eu encontrar o cara que inventou isso eu peço em casamento e vou vender Yakult e chapeado pra sustentar o gênio. Te dedico Bliper number 1!

*Se você quer saber o que é Blip dá uma olha da no menu ao lado.

2 comentários:

Dani disse...

Me sentei no puf...aai que visita...
Aham..Blip vicia..no começo fiquei maluca..mas sabe que depois de um tempo..perdí a vontade intensa de blipar...
Humm será que tem cura?
Parei aqui via Beijomeliga, que tava linkado no blog de uma amiga.
abraço..

Dani (faxina)

gremunhoz disse...

Amiga, totalmente apoiada! Entre meus planos para 2009 está "ter mais tempo de BLIPAR" !!!