sábado, 11 de outubro de 2008

Top five estupidez life style

Ele fez um post que nem era para ser um meme, mas eu achei a idéia boa e pedi permissão para copiar. E o pior, ele autorizou! Então lá vai os meus cinco maiores momentos de estupidez. Veja, não que existam só esses e que esses sejam os piores, a escolha foi baseada apenas nas falta de capacidade de armazenar infos. Até pq os piores MESMO eu não lembro.

1.Estudando para a prova de Geometria análitica
Eu fazia faculdade de engenharia. A estupidez já começa daí, porque qual a chance de eu ser uma boa engenheira? Mas ok. Depois de passar um feriado fora e voltar no domingo ressaquenta da viagem, eu decidi estudar para a prova de GA na segunda. Eessa é a matéria mais aterrorizante do 1º ano de eng no IMT. E a gostosa aqui, achando que ia dar um guento na véspera e se dar bem. Horas a fio de estudo e a única coisa que consegui foi ficar mais ignorante e com sono. Foi aí que eu demonstrei toda minha genialidade. Peguei um copo de coca e coloquei DUAS colheres de Nescafé. Mandei pádrento. E fui estrequinada madrugada a fora estudando.
Resultado: não preguei o olho, MESMO! Cheguei as 6h40 na facu virada e com estômago na mesma. Sentei pra fazer a prova e vomitei preto em cima dos exercícios incompreensíveis. Além do vexame, tive que fazer prova substitutiva SOZINHA! Peguei uma DP, claro!


2.Trindade no ano-novo

Não tem explicação no mundo que possa justificar porque eu fiz isso. Mas sei que teve um momento em que eu achei a idéia de acampar em Trindade-RJ, também conhecida como a praia mais farofa do planeta, boa. Um adendo. É uma praia farofa inrrustida que ainda vive com ares de paraíso inexplorado (que fora há 10 anos). E no fim das contas é suja, lotada (muuuitos quévêgent's) e sem a menor infra. No réveillon bota fermento em tudo isso. E eu lá acampando. Gente, o camping tava tão lotado que eu ouvia o cara da barraca ao lado peidando. Não era nem 1h do dia primeiro eu tava na barraca dividindo o fone do iPod com o ex e pensando POR QUÊ eu tava ali.
Resultado: Paraty no dia seguinte e começo de ano com amigdalite psicossomática.


3.Inferno de balada
Eu tava no boteco, feliz (leia-se bêbada), até que veio a proposta de colar numa balada. Tudo conspirava contra, mas eu, que não ouço a segunda voz, fui. Detalhe, não menos importante, as cias eram a minha amiga (que estava anestesiada pelo fim do namoro e topava qq coisa), o cara mais chato do trabalho (e fedido, sério!), e o cara mais chato que conheci (leia-se beijei) na vida!
Resultado: Preciso dizer mais alguma coisa? Ah é, preciso. Ele, o mala do século, quis beijar minha amiga e veio me pedir pra intermediar a parada. É...


4.Matar aula? Só se for agora!

Eu não consigo mentir, assim na lata. Tem que rolar uma preparação. E um dia, na sétima série, decidi matar aula. Acontece que eu já tinha entrado na aula e até respondido chamada. Mas ok, me chamaram e eu fui. Atenção, eu morava numa cidade de alguns mil habitantes e saí pela porta da FRENTE da escola dando tchau pro porteiro que sabia que eu existia antes mesmo de eu nascer.
Resultado: antes das 8h minha mãe já estava ciente do fato e me aplicou um corretivo de um mês sem acesso a nada de bacana nessa vida. E ainda falava pros outros o porquê.

5.Feriado mendigo em Uberlândia-MG
Com 16 anos eu fui pra Uberlândia no feriado com umas seis amigas. Tava guardando grana há milênios para tal folguedo. Daí que o amigo que ia hospedar a gente teve que viajar de última hora e só na rodoviária (na ida) descobrimos que não íamos ter pouso. Ok, tendo a burra cheia de grana o que qualquer pessoa normal faria? Pois é, nós não. Nós fomos e ficamos NA RUA. Exato! Dormimos em revezamento na escada do prédio da Encol (tipo na calçada!). E durante o dia íamos pra casa de uma amiga que morava com a família de 12 pessoas pra tomar banho (e por motivos óbvios não podia nos abrigar). E ainda mentia pros velhinhos da padoca que a gente tava lá pra prestar vestibular na UFU (Universidade Federal de Uberlândia).
Resultado: quatro dias sem dormir, banho na pia da rodoviária, mentira para os pais e 200 reais no bolso na volta. POR QUE, Brasil???

7 comentários:

RodOgrO disse...

hahahahah

Cara, eu sinceramente achava que você era mais espertinha. Dormir na rua foi o fim... ahahahahahahh

Cãmi disse...

Dormir na rua com 200 dinheiros no bolso SEMPRE me choca. Esta, sem dúvida, é a 'the best of'.

Julio disse...

Eu já dormi na rua e te entendo... hahahahahahaha

Anônimo disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk....larry, amei relembrar a historia de uberlandia....hehehe...sò nòs mesmo!!...
amooooooooooooooooooooooooo!
alimulher

gremunhoz disse...

ahahahahah, amiga, eu CHOREI de rir agora... só você mesmo pra me fazer gargalhar num momento como esse (2 acontecimentos RUINS que nem pude te contar ainda). Essa de Trindade eu lembro de você reclamando. Se não me engano foi no mesmo ano em que JUNTAS pegamos a tal amigdalite de fim de ano, pelo mesmo motivo inesquecível!!! ;-))

Rachel disse...

CHO-REI de rir, guriaa!

Caralho, essa de Uberlândia foi a pior!
Aguarde que lançarei minha série também ;)

bj

nandaaa disse...

Meldels!

Fiquei pasma com o de Uberlândia!
ainda voltou com DUZENTOS reais.. =O

primeira vez que venho aqui! gostei, acho que vou virar freguesa :)
rs