sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Nêga do cabelo duro

Então, pode ser uma surpresa pra alguns de vocês, mas eu sou neguinha. Há! E como toda negrinha colonizada desse país passei um tempo da vida tentando ter cabelo liso. Não, não em orgulho disso.

Mas como a adolescência é um mal que passa, essa época se fuê e com ela o rancor capilar. E já faz alguns bons anos que convivo bem com a minha juba crioula. Tanto, que esse ano, passei a tesoura do desejo de mudar e assumi de vez um sarará. E tô amando (de deus e do diabo). Há!

Pois é, com uma juba armada de dar inveja a qualquer copa de árvore eu sigo feliz. E tô tão da metida que tenho a petulância de virar fonte. Pois é, a Gabi veio me pedir pra dar dicas capilares pra quem é da minha hora (umas oito e meia, quinze pras nove). E como eu já sofri muito, capilarmente falando, nesses 30 anos de negritude sem referências, achei bacana dividir com o mundo aquilo que faço por um cabelo melhor.

Quem for assim da minha cô pode ir lá dar uma olhada (e quem não for pode repassar pra quem é). Tudo que tá lá é conhecimento empírico viu negrada?!
Beijos nagô pra vcs!

Ps.: isso não é um post pago.

6 comentários:

Cãmi disse...

qual é o pente que te penteia?
;)

Joaninha disse...

E o cabelo, que sempre foi bom, tá o mais lindo do mundo!

lorylooove disse...

nega do cabelo d'ouro!!!! =)

Renata disse...

Já disse outras vezes e repito: Sou fã do seu cabelo e dos outros cabelos "sarará crioulos assumidos"

RodOgrO disse...

Que absurdo dizer isso! Como vemos claramente na fotinho no canto do blog, esses cabelos cor-de-ouro e olhos azuis não deixam vc mentir!

gremunhoz disse...

Fofa, vc já sabe, mas não custa lembrar. Vá lá no mesmo texto e troque liso por encaracolado. O jeito foi deixar o rancor na década de 80 também, risos. Você nunca esteve tão LINDA. AMO esse novo cabelo, amo.