terça-feira, 9 de setembro de 2008

Temcupaeu?

Eu descobri uma coisa: sou assombrada pela culpa. Sim, o assunto é sério, eu me sinto culpada. É tipo uma paranóia que me persegue inconscientemente. Eu tô lá alegrinha aí de repente vem e BUM! Sou tomada por um mar de remorso.

E não existe uma fonte exclusiva para a prática do culpismo. Pode ser por ter comido muito, por não ter feito nada pelo social, por não fazer mais exercício físico, por ter perdido o bilhete único, por não ter passado no vestibular na Federal em 1996, por não falar chinês mandarim, por não domrir cedo, por não parar de fumar, por não preservar a natureza, por não arrumar a minha gaveta de calcinhas...Qualquer coisa serve para relembrar (o vestido velho da mulher amadaaaa - jukebox rules)!

Parte dessa psicose eu atribuo à criação católica que tive. Porque bom católico mesmo é aquele que nasce em pecado e passa o resto da vida pedindo perdão e engolindo óstia pra ter direito de passar na portaria celeste.

Ok, eu me livrei do catolicismo e faz tempo que não mando ver numa óstia. E hoje corro pelos campos da heresia livre leve e solta. Mas volta e meia, sinto uma fisgada no calcanhar que me faz tropeçar.

E sabe o que é mais foda? Não importa o que você faça nessa vida, o que vai medir a gravidade dos fatos é a sua capacidade de sentir-se culpado por eles. Logo, quem vive sem culpa, vive melhor.

Tem culpa eu?

3 comentários:

RodOgrO disse...

Caraca, me sinto igualzinho!!!!! Aí fico elocubrando mega-teorias-da-conspiração toda vez que faço qualquer coisa... é uma merda. Será que com treino a gente supera isso?

Se conseguir me ensina? :P

Joaninha disse...

Eu só sei que apagam-se as luzes ao chegar a hora de ir pra cama, e a gente começa a esperar por quem ama, na intenção que ela venha se deitar.

gremunhoz disse...

Morri de rir da parte que fala das possíveis fontes de culpa. E é assim mesmo. E acho que o nome da coisa varia também conforme a criação. Eu talvez não chame de culpa, mas de mania de perfeccionismo, auto-cobrança, exigência, super-superego. Dia desses ainda tava lembrando de uma palestra que eu fui dar em 2001 e não saiu como eu queria. Os caras me chamaram até pra dar aulas na porra da universidade, mas não... não foi suficiente pra aliviar minha sensação de fracasso. 99 sucessos, 1 fracasso, e é aquele fdp que marca. Bueno, menos pior que isso diminuiu MUITO depois da era Celística, bem, mas beeeem mais celestial! ;-)