quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Vamo ficá rico!

Gente, achei um jeito de ficar rica. Quer dizer, um jeito FÁCIL! E o melhor, vou compartilhar com vocês.

Seguinte, hoje eu saí de casa e precisava imprimir uns documentos que estavam salvos no meu penis drive. Sim, eu tenho impressora. E não, ela não está instalada. Aliás, se alguém quiser se candidatar para tal tarefa eu pago, em cerveja, claro.

Voltando. Foi fácil achar um lugar que imprimisse tais docs. Geralmente, são os mesmos que tiram xerox.

Cheguei lá e perguntei:
--Vocês mprimem?
--Sim, respondeu a atendente que já pegou o penis (há) e abriu os documentos que eu indiquei.
--Quantas cópias?
--Duas de cada, respondi inconseqüentemente, pensando que estava apenas sendo precavida.
--Colorida?
--Sim, respondi mais inconseqüentemente pensando na estética burocrática.

A mavon clicou no imprimir do Word e falou:
--Vamos lá pegar no balcão?
O processo todo levou cerca de 3 minutos.

--Quanto é, perguntei sacando uma nota de dois reais (doce ilusão).
--R$ 8, ela respondeu
--Como? Não entendi!
--OITO REAIS, repetiu ela mais claramente.

Em estado de choque, eu peguei uma nota de 10 e fiquei esperando o troco e xingando (mentalmente, pq sou covarde e tenho dificuldades com barracos) TODOS os palavrões já ditos em português.

Saí de lá ainda em choque. E depois de horas ainda pensava que tinha pago OITO REAIS para imprimirem cerca de meia dúzia de caracteres em 4 folhas A4.

Foi aí que a ficha caiu. Por que eu trabalho tanto?
Eu tenho computador, impressora e sou PHD em abrir docs de pen drive. Por que caralhos eu fico queimando neurônio trabalhando, enquanto eu poderia razoavelmente viver explorando os desavisados que precisam imprimir arquivos estúpidos a DOIS REAIS A FOLHA???

Até fui em busca do preço médio de impressão por página. Achei aqui que os valores variam entre 0,02 a 0,05 centavos. :-O

Agora pensa! Faz comigo a regra de três. Os fiodaputa têm um lucro de 100 POR CENTO!!! E detalhe, com um tempo médio de 3 minutos!

Isso é pra você parar de reclamar que não ganha dinheiro. Tá perdendo tempo! Vira meu sócio que a gente vai montá na pacoteira, enchê a burra, lavá a égua, virá magnata!

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

PS

O post anterior foi feito sem NENHUMA conotoção sexual!
:-p

Quanto tá o jogo?

Ontem fui visitar uns amigos queridos. Piada vai piada vem até que deu-se o seguinte diálogo:

--Que dia é hoje, alguém perguntou.
--Doze de agosto, respondi.
E logo um tratou de lançar o bom e velho comentário de vó:
--Nossa, o ano já acabou!
Um outro sabiamente completou:
--Acabou mesmo, passou da metade já era.
Como meus amigos são um mais sábio que o outro, senta que lá vem metáfora de quinta:
--É igual jogo de futebol, começou o segundo tempo tá no fim.
Aproveitando a onda olímpica que invade a pátria de chuteiras nos mantivemos na metáfora esportiva:
--É como se estivéssemos nos primeiros minutos do segundo tempo. Se não marcou, tem marcar agora! Se não só ano que vem.

Daí que eu fiquei pensando se eu já tinha marcado meu gol em 2008. A princípio achei que não. Mas logo caiu a ficha. Marquei sim! Não foi um golaço, mas foram dois golzinhos honestos. Daqueles que já fazem o prélio valer a pena e garantem uma vaga pra próxima rodada do campeonato.

Mas o problema é que 2007, apesar de ter sido um jogo tenso, tipo partida de decisão pré rebaixamento, teve um gol incrível. Daqueles de placa, com direito à falta dentro da área e pênalti na seqüência. FODA! Logo, acho difícil que 2008 supere em emoção e resultado.

Mas apesar de tudo, o jogo segue. E eu tenho pra mim, que até os 45 consigo marcar mais um golzinho, só pra garantir.

E pra você, quanto tá o jogo?

Ps.: Eu não entendo PORRANENHUMA de futebol!
Mas foda-se!

sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Ahhhhhh, a Mandona vem aíii!

Pois é, ela é chata, folgada, grossa e agora, além de tudo, tá velhusca (caidapacarai). Mas e daí? Continua sendo fodamente Pop. E eu quero é rebolá em dezembro. E pra animar um pouco a sexta de chuva e frio segue:



Engrossa o coro comigo: Duiú biliiiiveeee!

Viva o Chico Barrigudo!

Hoje e aniver do meu pai. O Denny Glover do centro-oeste. E apesar da semelhança física, de máquina mortífera ele não tem nada. Pelo contrário, é um homem doce, honesto, gentil. Não fala palavrão, não mente, não bebe e parou de fumar assim que seu primeiro filho nasceu "para não dar mau exemplo".

É metido a mestre cuca, faz o melhor peixe na telha que eu já comi. Também é nerds, ou melhor, CDF. Não gosta de festa. Prefere ficar em casa lendo do que sair para balada de qualquer ordem. Não é qualquer um que faz pós graduação depois dos 60 anos.

Danem-se os clichês, mas ele sempre foi meu herói, minha referência, meu porto seguro. Não é por acaso que ele nasceu tão perto do dias dos pais.

Eu gostaria muito de estar do lado dele para dar um abraço, mas como não é possível, vou tentar dar um presente pra ele a distância que sei que ele vai adorar.

E para superar a clichezisse descontrol segue uma rima rica que eu cantava pra ele quando pequena:
Viva eu, viva tudo!
Viva o Chico Barrigudo!


Pra você ver que não é de hoje que eu arraso...
hahahahahahaha

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Creme de queijo?

Quase isso. Passei o dia pensando em comer um creme de queijo. Tava na nóia de fazer quando chegasse em casa. Essa chuva que caiu em SP hoje, depois de 20 anos de seca, tava pedindo aquele abraço por dentro que só um caldinho quente pode proporcionar.

Mas depois de levar duas horas (não é figura de linguagem, foram duas horas mesmo) debaixo de chuva, eu já tinha desistido de ir pra cozinha.

Mas não de comer, é claro! Logo, entrei no lugar de gente feliz pra conseguir suprimentos de preparo simples ideais para abrigos anti inundação.

Ledo engano. Bastou uma volta pelos corredores para a cabloca esquenta umbigo baixar em mim. Logo estava eu perdida entre os milhões de temperos. Tentando decidir o que fazer para terminar bem o dia. Até que:

Creme de queijo com iscas de frango e alho poró

Ingredientes:

-Iscas de peito de frango (no lugar de gente feliz já vende a bandejinha já com os pedacinho picados).
-alho poró picado em rodelinha
-mistura em pó para creme de queijo em pó (tem um da Arisco que é bom)
-mussarela ralada
-parmesão ralado
-requeijão cremoso
-qualquer outro queijo de sua preferência ou que você tiver na geladeira

Preparo:

Tempere o frango a gosto e refogue bem. Junte o alho poró e deixe refogar mais um pouco, mas não frite muito para que ele não perca a consistência e desapareça. Em outra panela dissolva a mistura do creme de queijo na medida de água indicada no saquinho. Quando a mistura estiver no ponto (mais grosso) vá juntando os outros queijos, inclusive o requeijão. Coloque uma pitada de noz moscada. Depois junte tudo e deixe ferver um pouco mais.

Sirva com um pouco de parmesão ralado em cima acompanhado de torradinhas. Outra dica é colocar o creme dentro de um pão italiano. Urrruuuuuuuui! Que delícia, Brasil!

PS.: vi um sapo morto na saída do trampo hoje, tomei chuva na rua, fiquei descabelada por causa disso, nada mais justo que jantar bem e dormir feliz.

quarta-feira, 6 de agosto de 2008

Não vi e não gostei

Se tem uma coisa que me irrita é esse papo de não tenho precon. Mentiraaa! O lema é: preconceito, todo mundo tem um pra chamar de seu. Não tem jeito, vivemos com base nas experiências que tivemos na vida. Logo, temos uma carga de informação que nos faz tirar conclusões antecipadas diante de tudo.

Então não me venha com esse papo de que você não julga. Julga sim! O tempo todo! E é por essa e por outras que resolvi conversar com meu lado preconceituoso e tirá-lo do armário.

Por exemplo, tenho preconceito forte com coisas que eu nunca comi. Como coração de galinha. Odeio o aspecto dele, mini ventrículos e mini aortas não são o meu sonho de refeição. Por isso, eu nunca comi e não vou comer. E não adianta falar que é incrivel de gostoso. FODA-SE, eu posso viver sem!

Isso vale pra uma série de coisas. Tem gente que eu não conheço e nem quero conhecer só pela cara. Tem filmes que eu deixo de ver só pelo nome e livros que eu definitivamente não quero ler só pela capa! Eu não preciso assistir Triplo X dezenove pra saber que é um clássico da ridiculisse! Se bem que isso não é precon, é bom senso.

Veja, isso não faz de mim uma pessoa nojenta que classifica e rotula tudo e todos e não paga pra ver. Eu só cansei desse papo Luana Piovane de "não me julguem porque eu não julgo ninguém". Portanto, podem me julgar porque eu julgo todo mundo!

Ps.: esqueci de falar da Ostra. Sérião, eu não preciso, não quero e não vou chupar catarro com limão e areia! E tenho dito!