domingo, 8 de junho de 2008

Fazer caber...

Recentemente eu comprei uma Melissa. Um modelo de inverno, flocadinho, de salto, uma graça! Mas foi usar uma vez para vir o desespero. A droga do sapato me machucou tanto que eu não consegui passar meio período do dia com ele. A numeração tava correta, mas ainda assim massacrava meus dedos. Era duro de mais. Uma tortura.

Mas eu tava tão afim dele que fiz de tudo e consegui trocar por um número maior. Pra minha surpresa não adiantou nada! Agora, além de me machucar, ele fica saindo do pé.

Conclusão, se algo na sua vida não está servindo, não adianta tentar fazer caber. Por mais atraente que a idéia possa parecer. As coisas realmente bacanas simplesmente fluem. As pessoas queridas passam a fazer parte da sua vida naturalmente, sem precisar forçar a barra.

As poucas vezes que tentei fazer algo caber na marra as consequências foram bem parecidas com as do caso da Melissinha. Prejuízo, decepção, frustração e dor, só que nem foi no pé.

6 comentários:

rancorizando disse...

Fazer caber nunca mais!

gremunhoz disse...

Amiga, de repente você me fez refletir que minha vida afetiva também pode estar diretamente ligada aos meus sapatos. São poucos que não me causam problemas! risos. Chega de querer fazer caber, é isso aê! O máximo que pode acontecer é termos de andar descalças. Acho que isso corresponderia a um namorado auto-sustentável-orgânico. Não? Bueno, depois da tempestade solar de 2012 teremos poucos do tipo-nerd. kkk

RodOgrO disse...

AMÉM!

Concordo dois mil %.

Renata disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Renata disse...

que saudade de vc trem!
beijo
e o encontro das isoldas, vai rolar samba né?

B. disse...

eu tb tenho uma linda melissa roxa que serve bem como enfeite de armário...blé