quinta-feira, 22 de maio de 2008

Dragão de Komodo

Quem me conhece sabe. Eu ODEIO lagartixas. Ai gente tá! Tem sempre aqueles que vão argumentar: mas é um bichinho tão inofensivo, que come pernilongos. Em tempos de dengue ela ainda ganha um valor agregado. FU-O-DA-SE! Para mim é o dragão de Komodo! Eu queria muito que elas desaparecessem. Aliás, já era para ter desaparecido. Afinal, elas têm a mesma idade dos dinossauros!

Tá, vocês entenderam que eu tenho pavor, pânico, fobia de lagartixa. E não há argumento no mundo que me faça retroceder. É como se todo o medo que eu tivesse de qualquer coisa nessa vida eu focasse nelas! Até regressão na análise eu já fiz para resolver isso. Porque veja, eu não tenho orgulho de ter medo de algo muito mais impotente do que eu.

Daí que essa semana eu cheguei em casa, abri a porta e uma MALDITA entrou junto comigo. Quando eu vi o rastro branco no chão e me liguei do que se tratava tive um chilique! Subi no sofá, gritei e chorei. Até que me liguei que não havia NIGUÉM para me salvar.

Aí para tudo, não tem platéia, não tem show. Pensei no porteiro, no pretê, no Super Homem, mas todos eles iam demorar de mais para chegar. E se ela sumisse nos confins da casa eu ia ter que me mudar com a roupa do corpo. Eu estava ilhada!

Sem escolha, juntei força deus sabe de onde e decidi matá-la! Sim! Ou eu, ou ela!

Lembrei do veneno. Com as pernas trêmulas eu fui até a cozinha e saquei o o Mortein, que tem um nome ótimo, mas só funciona para baratas! E a fiadaputa só ficava bem lôca. Mas morrer que é bom, nada! Mas mantive a situação sob controle.

Com a larga chapada, eu saquei uma vassoura e cacetei. Mas cacetei tanto! E depois vitoriosa (e com calafrios) eu velei o corpo por alguns minutos. Sem coragem de jogar fora.

E fui pra vida viver, ainda tremendo, ainda chorosa e pensando quantas largatixas eu ainda vou ter que matar nessa vida (?). Só para provar quem é que manda nessa pôrra!

E dias depois me pergunto: quantas lagartixas eu vou ter que matar, Brasil!

Ps.: Obrigada Rodrigoh, pela remoção do corpo.

4 comentários:

:: carol monti :: disse...

no meu caso são abelhas ... esses seres malévolos e que surgem com a primavera ... e nem vem com essa história de que elas que produzem mel .. problema delas, que fiquem lá em suas colméias ....

eu já temia a abelha africana que habita o Brasil ... mas isso foi antes de conhecer a abelha européia que, putaqueMEpariu, é 3 vezes maior e assustadora.

não sei pra lagartixa, mas pra abelha o spray que uso pra limpar a banheira funciona, mata que é uma beleza.

Mortein já era... o que pega é Mr.Muscle bathroom!!!

bjoooo

Anônimo disse...

hahaha

conta comigo e fica tranquila que nunca terá que limpar ossos de galinha!

Lígia disse...

Larissa,como veio na minha mente,os escândalos que vc fazia.Fiquei aqui só imaginando!!!Mas esses dias eu tive um ataque tb,apareceu uma perereca aqui em casa,quase tive um troço e o pior que ninguém matou e ela deve estar por aqui escondida...
parabéns pela sua coragem.
Beijos

gremunhoz disse...

Amiga, eu só não dou risada agora, pq além de se tratar de um tema sério e que eu respeito, o clima aqui não tá pra risos...

Mas pera lá! Essa foi a primeira vez que vc matou uma "inimiga"? Vc sabe que isso é super importante, né?
Adorei essa analogia final sobre quantas lagartixas você terá de matar. Para você elas são leões, certo? Como eu com as baratas quando tinha 11 anos... ainda bem que superei. ;-)