sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

Enchente

Ontem vivi um dos momentos mais surreais da minha vida. Durante a tempestade que caia loucamente em São Paulo eu estava no carro de uma amiga indo pra casa dela. Até aí, chuvas torrenciais nessa época do ano não é novidade para quem vive nessa cidade. Conseqüentes alagamentos também não.

O problema é quando você de expectador se vê no meio da enchente. Por mais que aquilo lhe pareça comum e já tenha acontecido com pessoas próximas a você, a sensação é de impotência. O carro está enchendo e lá fora tá mais cheio ainda.

Você não quer sair e nadar na água suja, mas a chuva não dá sinais de parar. E você fica ali a deriva, boiando no meio da lama da cidade encarando a sua fragilidade diante das causalidades da vida.

Daí que, passado o desespero, eu percebi que já me vi assim em muitos outros momentos da minha vida, só que não foi por intempéries. Quantas e quantas vezes já me vi ilhada, com sensação de estar no meio da lama, sem saber o que fazer.

E o pior é que quem está de fora, sempre tem um palpite pra dar. "Mas porque vocês fezeram esse caminho se estava alagado?". (Porque eu adoro ficar no meio da enchente, sempre que posso eu faço isso).

Porque visto de fora, parece simples. Assim como na vida. Quando o problema é com os outros é fácil de resolver. Mas quando é você que tá na chuva e água subindo, eu quero ver...

A notícia boa é que chuva passa, a água suja desce e o resgate vem. Seja em forma de guincho ou de serviço auto relâmpago. E depois que você se livra dos prejuízos, tudo volta ao normal.

Até a próxima enchente...

3 comentários:

Greice disse...

Flor, o mais surreal foi a Mariana hoje de manhã perguntando se tinha chovido? ahahahahah. Incrível como a vida pode ser mesmo caleidoscópica... isso pra ser educada. Eu e Júlio pegamos o carro pra ir no Hospital SP ficar um pouco com a Célia e a família dela. Chegamos até a Av. Brasil e tivemos que voltar pra pegar metrô e começar tudo de novo...

Lígia disse...

Oi Larissa!!!Vi o noticiário sobre a enchente de São Paulo e todas as vezes me lembro de você...
Um beijão!!!

:: carol monti :: disse...

muito verdade! ..... e se conselho e palpite fossem bons naum seriam de graca, naum eh mesmo?!

... ai que delicia sentar no puff denovo!

bjo