domingo, 25 de novembro de 2007

Já dizia Pollyanna

"Ai meu Deus, eu quebrei um braço. Bom, pelo menos o outro ainda está saudável". Esse é o conceito Pollyanna. Para essa mala literária, tudo, mas TUDO mesmo, tem um lado bom. E eu li! Os três livros da série! E só hoje posso ver o quanto a maldita me infectou.

Eu acho que tudo não passou de um plano nazista da minha mãe, para me controlar sempre que eu queria promover um motim contra algo que não dava certo. E ela conseguiu. Não a Polly, a minha mãe.

Incoscientemente essas publicações água com açúcar se incutiram na minha mente perversa fazendo de mim um ser altamente positivista!

É sério! Eu num posso evitar. Sempre que dá uma merda, tô lá eu falando pra mim mesma ou para os cercantes: Calma, vai dar tudo certo! Ou: não fica assim, você poderia ter se fodido com aquilo tb!

Que saco!

Chega! Esse post é pelo direito de rancorizar! De reclamar quando tudo dá errado e praguejar até a décima geração.

Ok, eu entendo que a palavra tem poder energético. Mas engolir tudo passivamente dá cancer! Então é isso, a gente segue rancorizando. Mas sem guardar rancor no coração. Ah vá, um pouco pode.

PS.: é pra reclamar só quando der merda MESMO. Se vc se perder no limbo da lamúria vira um mala. Aí num vale!

PS.: para os rancoristas de plantão eu indico o mais novo: Rancorizando. Manda bala!

:-P

7 comentários:

Joaninha disse...

Depois vc conta pro povo do Jogo do Reclama...

Cãmi disse...

Viva o RANCOR!!!!!
Eu li Pollyana e ela não me convenceu ... só tem um ensinamento que eu levo pra vida... 'passarinho que ta na merda NÃO PIA'.
No mais, sigo rancorizando e o bonde do Só Se Fode segue lotado!

Rodrigoh disse...

humpf, eu sigo com a Polly buscando um olhar lúdico para a vida real. É melhor ser aliendo feliz ou realista deprimido?

Lara disse...

Ah nehum dos dois. O bom é acreditar, mas poder reclamar de vez em quando! bjos no cuco!

Lê disse...

hahahahaha. deus me livre viver reclamando de tudo. mas confesso que tem um tipo mau humorado que me atrai. rs. ver o lado bom é ótimo, mas quando ele existe né. ou melhor, temos que criá-lo. a polly está certa em pensar que tem outro braço. mas errada em achar que quebrar só um braço já está bom. rs. enfim. sem rancores a partir do momento em que se encontra a solução.
bjs

Beto disse...

Eu gosto de ver as calcinhas das moças.
HAHAHAHAHAHHAAHA

Greice disse...

Mana,
Da Polly só ouvi falar... e o que é pior, nem precisei ler pra ter sido influenciada. Na terapia eu cheguei a ser comparada com essa criatura, oh my! Felizmente está morta... E realmente não podemos confundir altruísmo e controle da mente (que mente!Como diria o Stefano D'Anna e seu Dreamer...) com burrice. Ser bonzinho é uma coisa, ser ingênuo e trouxa é outra bem diferente... Sometimes o povo confunde e quer montar na nossa cacunda, né? NEGATIVO! Morte à Polly que existe dentro de nós! ;-)