sexta-feira, 30 de novembro de 2007

O mundo é sem noção

Por que? Por que? Por que?

Essa é uma pergunta que me faço todos os dias. Isso porque, pelo menos uma vez por dia, sou atingida pela falta de noção alheia. Num é prepotência não. Até porque a noção também me abandona às vezes.

Mas graças a Nossa Senhora de Guadalupe (viva lo México!) eu tenho amigos para me trazer para a realidade e me impedir de mergulhar de cabeça no raso mar da falta de de bom senso.

Mas tem gente que não, não tem noção, nem uma boa alma que os alerte. Aí saem pela vida nos obrigando a engolir absurdos sem nem se quer se tocar disso.

Ah como é terrível lidar com a falta de noção alheia. Poxa! Será que é tão difícil pensar que seus atos vão influenciar DIRETAMENTE na vida daqueles que o cercam???

Será que você, nem de longe, nem por acaso, já ouviu falar na teoria do Caos? Aquela da asa da borboleta? Não?

:-S

Mas o rancor não deixaaaaa....

Hoje eu acordei no meu nível máximo de rancor. Nem sequer me lembro da última vez que fiquei assim. E o pior, não tenho nem a desculpa da TPM. Só sei dizer que tá tudo ruim.

Lógico que tenho motivos para toda essa raiva e posso até citar alguns:

- pela primeira vez na minha vida eu estou descascando. É serio, tomei sol sem protetor (é, eu sei que é burrice) e torrei. Como sou negra nunca tinha passado por isso. Minha pele tá horrivel! E eu to mal.

- hoje já é dia 30 e o meu 13º não caiu ainda.

- caiu o salto de dois sapatos meus essa semana.

- eu odeio a TV Digital.

- tô triste por causas pessoais que não vêm ao caso.

- amanhã é 1º de dezembro e AINDA TÁ FAZENDO FRIO, CARAIO!

- eu quero fazer milhões de coisas, mas só tem mais 2 finais de semana até as festas.

- eu to com saudade da minha mãe e do meu pai!

- tô no meu inferno astral.

Por hora são essas as queixas. Se eu lembrar mais eu posto.

:-|

terça-feira, 27 de novembro de 2007

Da série...

Parafraseando o Kibe Loco na série notícia ou ameaça:
Os Jackson Five vão voltar. E COM o Michael!

Como assim?

Overdose de calcinhas


Não, não vou parar de usar roupas de baixo. Aliás, tenho muito apreço pelas minhas. Tanto que não costumo sair de casa sem elas e nem ficar exibindo as por aí. (Tudo bem, que se o fizesse o impacto não iria além da minha roda de amigos).

Mas o que quero dizer é que já cansei das notas sobre fulanas exibindo suas calcinhas por aí. Em uma semana acho que foram umas 10 famosas, ou nem tanto, com suas calcinhas "acidentalmente" fotografadas. Ahã, sei!

Lume a de Oliveira, Adriane Galisteu, Juliana Paes, Luana Piovane, Flávia Alessandra (que agora resolveu ser safada) Viviane Araújo (Gente, quem ainda não viu a calcinha dessa moça? Aliás, o que está de baixo dela tb). E hoje a gota d'agua foi a calcinha da Ellen Jabour (maaala) no prêmio xigaret. Ai que preguiça!

Qual é? Existe um convênio entre a indústria de lingeries e a imprensa de fofoca?? Ou será só mais um recurso para a falta de assunto e de sucesso?

Ah minha gente, vamos mudar o lide! Duvido que vcs conseguem passar pelo menos uma semana sem dar uma nota se quer sobre a calcinha de alguém?! Tá lançado o desafio!

Sim, eu consumo notícias de celebridade. Aliás, eu consumo notícias. Trabalho com isso. Fico o dia todo online lendo quase tudo que aparece na minha frente.
E acho que tenho o direito de manifestar meu incômodo ao ver na home dos grandes portais as calcinhas das famosas e aspiras.

Isso quando o foco não é falta delas (das calcinhas). O que tb nem é novidade. Porque a maioria já exibiu a perseguida em revistas de nú artísticoBARRAginecológico. Tipo, quem ainda não viu a pixirica fora de forma da Britney Spears??? Só a Kátia!




Ah pára, ou!
:-/

domingo, 25 de novembro de 2007

Já dizia Pollyanna

"Ai meu Deus, eu quebrei um braço. Bom, pelo menos o outro ainda está saudável". Esse é o conceito Pollyanna. Para essa mala literária, tudo, mas TUDO mesmo, tem um lado bom. E eu li! Os três livros da série! E só hoje posso ver o quanto a maldita me infectou.

Eu acho que tudo não passou de um plano nazista da minha mãe, para me controlar sempre que eu queria promover um motim contra algo que não dava certo. E ela conseguiu. Não a Polly, a minha mãe.

Incoscientemente essas publicações água com açúcar se incutiram na minha mente perversa fazendo de mim um ser altamente positivista!

É sério! Eu num posso evitar. Sempre que dá uma merda, tô lá eu falando pra mim mesma ou para os cercantes: Calma, vai dar tudo certo! Ou: não fica assim, você poderia ter se fodido com aquilo tb!

Que saco!

Chega! Esse post é pelo direito de rancorizar! De reclamar quando tudo dá errado e praguejar até a décima geração.

Ok, eu entendo que a palavra tem poder energético. Mas engolir tudo passivamente dá cancer! Então é isso, a gente segue rancorizando. Mas sem guardar rancor no coração. Ah vá, um pouco pode.

PS.: é pra reclamar só quando der merda MESMO. Se vc se perder no limbo da lamúria vira um mala. Aí num vale!

PS.: para os rancoristas de plantão eu indico o mais novo: Rancorizando. Manda bala!

:-P

...

É lindo, puro e doloroso, mas é real!

sexta-feira, 23 de novembro de 2007

Seu Jorge da vez

Mas eu gosto. E daí?



:-)

quarta-feira, 21 de novembro de 2007

O monstro da falta de foco

Ele é mais assutador que a Loira do Banheiro, o Homem do Saco e até mesmo a Cuca. Quando ele aparece não há o que você faça para o mavon ir embora.

Imaginários populares a perte, eu temo mesmo é o Monstro da Falta de Foco. E aposto que você também.

Visualize comigo: É sexta-feira e você está no trampo. Isso depois de ter exagerado um "pouco" na breja pós trabalho (eu ainda me recuso a escrever HH) na quinta. Para completar o quadro da dor sem a moldura você decide abraçar a idéia daquele seu colega e manda ver um almoçinho capaz de fazer qualquer vegan desencarnar.

Resumindo, come um boi feito um boi. Depois, de volta ao trabalho, adivinha quem está na sua mesa pronto para dominar o seu corpo e a sua alma? Ele! O Monstro da Falta de Foco.

Desse momento em diante você deixa de existir para o mundo. Qualquer coisa o distrai. Até um e-mail em PPS com mensagens budistas que você recebeu em agosto de 2005 parece uma idéia melhor do que trabalhar.

E você segue enrolando. Fazendo tudo, menos o que deve. Qualquer passante serve para um dedinho de prosa e até as músicas abssais das profundezas do seu iTunes você resolve ouvir.

E para cooperar, cada vez que você olha no relógio o ponteiro parece congelado nas 15 pras 4. Exatamente a hora em que você voltou do almoço.

O pior é tentar disfarçar. Porque a essa altura, seu chefe já se ligou que você num tá querendo nada com o batente. Eu nem tento. Já logo aviso que estou possuída e procuro fazer piadas ruins para, pelo menos, entreter o ambiente.

E cuidado, o Monstro da Falta de Foco também costuma impregnar nas vésperas e segundas-feiras* pós feriados, na TPF (tensão pré férias) ou TPF (tensão pós férias) ou em outros momentos quando qualquer coisa é mais interessante do que seu trampo. Isso inclui o mês de dezembro inteiro, a véspera do carnaval e a quarta-feira de cinzas. Tem coisa mais inútil do que o meio período que trabalhamos pós carnaval???

Mas atenção, se você ficar possuído por muitos dias seguidos é hora de rever seus conceitos...

sexta-feira, 9 de novembro de 2007

Epidemia


Bom, agora vai! Fiquei um boooom tempo sem postar. Cheguei até a pensar que tinha perdido o gosto pela coisa. Mas não. Foi só um período de seca criativa. E outra, foi só o rancorômetro apitar que eu corri pra cá para gorfar. E dessa vez, o meu rancor é com a moda franja.

Gente, onde que eu tava que de repente TODO o planeta (a nível de Brasil) resolveu cortar franja? Até o yorkshire da minha vizinha tá desfilando pelo prédio com uma bem farta!

Eu já vinha notando a coqueluche há algum tempo entre as descoladinhas. Mas agora todas as globais caretonas viraram franjudas. Pude constatar que não tava sozinha nesse rancor quando li sobre a peste franjal na TPM de outubro.

E hoje foi a gora d'água! Quando eu vejo a foto do Ivetão na home do UOL, com seu novo namorado bósnio (é, eu também não sabia que eles, os bósnios, não eram só uma criação do inconsciente coletivo) ostentando seu franjão no tapete do Grammy Latino.

Tudo bem, não dá para considerar muito uma balada que já premiou historicamente gente do cacife do Alexandre Pires. É cafona, ponto!

Mas PADD, se você não tem menos de 10 anos, pense e repense antes de meter um franjão na testa. Definitivamente NÃO é para todo mundo que fica bem. A Ivete tá aí para provar. Além do que, eu concordo com a Nina Lemos, não é muito bacana ficar com cara de todo mundo.

D:-)
(oh eu de franja)

sábado, 3 de novembro de 2007

O retorno

Oi fiéis leitores do Puf. Depois de 20 dias de ausência bem justificada (eu tava de férias! eeeeeeeee!) volto pra cá com uma puta saudade e com uma certa preguiça.

Prometo retomar as sequenciais baboseiras que costumo postar aqui. Mas como estou muito devagar ainda, vou mandar um vídeo do Você Entuba (essa é a minha tradução). Essa música diz tudo sobre o momento que estou vivendo.

Segue...



Somo Nozes!

;-D