terça-feira, 2 de outubro de 2007

Rótulos

É, vivemos num mundo de rótulos. Tem o playboy, o maconheiro, o cafona, o descolado, o emo e o indi... Eu, graças a deus, já passei da fase de tentar me encaixar em um deles. Afinal, a gente tem que amadurecer em algum aspecto nessa vida.

Mesmo assim acredito que as pessoas deveriam vir com rótulos. Não no sentido citado acima. Tipo roqueiro, surfitsa, cult ou qualquer outra coisa. Penso em algo mais direto e reto, como: cafajeste, vingativa, fofoqueiro, galinha, mentirosa, interesseira, falsa...

Seria tãaaaaaaao mais prático. Tipo como no lance do douro, só que bem mais explícito. Por exemplo, você conhece um (a) fulano (a), de cara já vê uma etiqueta com as descrições.

João: filho único de mãe judia, folgado, machista, possessivo e ciumento. Pra ele lugar de mulher é na cozinha e calada! Vai te comparar com a mãe dele a todo momento e esperar que você seja tão boa dona de casa quanto ela e tão virgem idem. Nem transar com você ele quer. Afinal, ninguém transa com a mãe (pelo menos não devria).

Maria: interesseira, se formou em pedagogia (ou publicidade para as mais descoladas) porque não tinha nada melhor pra fazer enquanto esperava um marido (rico). Vai te trocar pelo primeiro cara com mais grana que aparecer na vida dela. Ou pior, manter os dois. Ah, detalhe, sua mãe vai adorá-la, afinal, ela nasceu para ser nora!

Não seria genial? Isso evitaria tantos equívocos...

;-D

3 comentários:

Camila disse...

Devia ser lei isso... teria, no mínimo, me economizado um ano jogado no lixo!!!
ps.: filho único de mão judia... adooouuuro citações hahaha

Greice disse...

Amiga, olha só... se fosse assim, a Célia não teria emprego, risos! Mas olha (de novo), tô pra te dizer que quando vc estuda um pouco mais de Jung, Steiner e esses gnósticos ferrados, você começa a enxergar na forma de arquétipos... e aí fica fácil ler esses rótulos. No início do ano eu estava num barzinho com Camilla e uma amiga dela. De repente ela começou a falar do ex. Então comecei a complementar coisas que ela dizia e fazer perguntas, do tipo: - Ele faz trilha de motocross? Os pais são separados? ETC. Até que uma hora ela virou pra mim e perguntou se eu conhecia o cara, ahahahahah. Então expliquei que não, mas que conhecia o arquétipo!!!

Nescau disse...

Aê Lara arrebentou com esse post rsrsrsrrrrrrsrsrsrrrr

"porque não tinha nada melhor pra fazer enquanto esperava um marido (rico)"

Beijos

http://www.crau.com.br