domingo, 30 de setembro de 2007

Nota mental

Ontem eu assisti o "Diabo Veste Prada". Conclusão: eu quero ser o diabo! E vestir Prada, Gucci, Dolce & Gabbana, Valentino, Dior...

Sim, AMO roupas caras e lindas! Mas num tenho acesso!
Eita mundo desigual, tudo é tão desigual ôôôôôôôôô!

Comunismo café-com-leite a parte, é isso. Me atire a primeira pedra aquela que não quer incendiar o próprio guarda-roupas depois de ver esse filme.

E não me venha com papo anti futilidade. Peeeeeeen! Mentira! Porque, no fundo, tudo que você quer é uma roupa que te deixe linda! E nem é tão fundo assim...

:-P



terça-feira, 25 de setembro de 2007

Dourado, use com parcimônia!

Eu sempre cultivei um preconceito ao douro. Mas de uns tempos pra cá a Jô, minha gêmea branca, me convenceu de que a cor do Midas tem lá seu charme e elegância. E é verdade! Tanto que me deu vontade de abraçar o douro.

Resolvi sair em busca de objetos para consumar isso. Durante a saga, encontrei muita coisa legal, mas concluí algo importantíssimo. O douro não é unânime, nem básico, muito menos fácil de segurar. Pode sim ser bem bem elegante. Mas a linha que o separa da cafonice descontrol é extremamente sublime. Quiçá imperceptível.

Por mim, as peças douradas deveriam vir com um selo do Conar escrito em letras garrafais: DOURADO, USE COM PARCIMÔNIA!

Indo mais além. Eu não sou nehuma autoridade em moda, nem tenho a menor pretensão de ser. Só acho que bom senso é essencial pra qualquer ser humano nessa vida e nunca é de mais. Pelo contrário, costuma faltar sempre.

No quesito vestimenta então, nem se fala. Nego confunde moda com ditadura e abraça a causa da vitrine sem o mínimo de quetionamento. Por exemplo, não é porque todas as revistas e lojas do mundo dizem que está suuuper usãããnnndo que você TEM que usar.

Entenda, PADD, os limites do seu corpo e não seja cretino! Saia de casa com o que realmente te favorece. A não ser que você seja a Gisele Bündchen, acredite, há restrições!

E outra, é melhor ser um OUT discreto do que um IN chamativo. Minha mãe sempre diz que é melhor passar batido do que chamar atenção pelo ridículo.

É sério!



Ps.: Perceba que até vestida com um jato d'água a cretina fica bem.

;-)

segunda-feira, 24 de setembro de 2007

Maxi regataaannn

Mais uma da série pessoas sem noção.
Tem gente que prefe sair perdendo só para provar um ponto.

Eu e Patrik fomos dar aquele rolê despretensioso no shopping Center 3. Onde aos domingos rola uma ferinha bacaninha que de vez em quando rende umas comprinhas honestas e até originais. E no meio do nosso domingo aconteceu um dos momentos mais sem noção que eu já vivi comercialmente falando. E olha que tenho bons quilômetros rodados por corredores de shopping na vida.

Segue:

Patrik, que já estava meio de ovo virado, finalmente gostou de algo: Olha que linda essa blusa! Acho que dá para usar como vestido né?

Bob: É mesmo, acho que pra você nem vai ficar tão curto. Experimenta! A estampa é linda!

Vendedora: É, experimenta. O provador é aqui atrás.

Patrik entra no provador e experimenta a blusa por cima da sua própria roupa (uma blusinha e uma saia jeans).

Bob: Nossa ficou lindo, e nem tá curto. A estampa é ótima!

Patrik meio reticente: Você acha mesmo?

Bob: Sim, tá no mesmo comprimento da sua saia. Super ok! Tira a saia para você ter uma noção.

Patrik se anima entra no provador e tira a saia para avaliar melhor.

Nesse meio tempo surge o "estilista" criador da obra e lança: Isso não é um vestido! É uma MAXI REGATAAAAAN!

Patrik ignora solenemente o "estilista", ou melhor, todas nós ignoramos, inlcusive a vendedora que responde: Mas dá para usar como vestido.

Mas o "estilista", nao satisfeito, vai até a arara pega o vestido de verdade e insiste todo dono da verdade: Esse é o vestido, tem um corte evazê. Essa é uma Maxi Regataaaan!

Bob olha pra ele e diz: Mas quem compra que decide...(achei melhor não falar)

O "estilista", por sua vez, persistente até o fim: Essa Max Regataaan vai usar muito no verão com legging...

Oh! Que novidade! Vc tá se referindo ao verão passado né? Pensamos todas ao mesmo tempo com a capacidade de transmissão de pensamento que só as mulheres amigas têm.

Por fim Patrik tira a MAXI REGATAAAN, pendura na arara, fuzila com rancor o estilista e solta: Obrigada!

Resumindo, pra provar que uma blusa cumprida idiota não é um vestido, o imbecil deixou de ganhar dinheiro!
Mas em compensação provou seu ponto.
Oh que vantagem!

:-/

ACABOU!

Só para constar: O INVERNO ACABOU!

Isso mesmo. Você que, como eu, ama o verão e considera 25ºC uma temperatura amena, pode agarrar o seu rojão de 10 tiros e comemorar!
Ainda não é o verão, aquele do jeito que o diabo gosta, mas a primavera já começou a sorrir oficialmente. Ontem já nos brindou com um sol de 35ºC na Av. Paulista!

Ô geliça!
Tim tim pra vc tb!

;-D

quinta-feira, 20 de setembro de 2007

Morena D'Angola

Pois é, depois de querer (e desistir rapidamente) ser um smurf eu me lembrei que sempre quis mesmo é ser a Morena D'Angola. Essa mesmo, do post anterior, do Chico, o Buarque, cantada pela Clara, a Nuuuunes.

Ai como eu adoro essa música! Minha mãe cantava pra mim antes de dormir (o que explica muita coisa). Mas a verdade é que a Morena D'Angola é o máximo. Ela tem um chocalho na canela e causa furor quando passa balançando o acessório. Ela vai chocalhando no caminho pro trabalho e batuca na panela durante o trampo...

Segue:

Morena de Angola

Chico Buarque
1980

Morena de Angola que leva o chocalho amarrado na canela
Será que ela mexe o chocalho ou o chocalho é que mexe com ela
Morena de Angola que leva o chocalho amarrrado na canela
Será que ela mexe o chocalho ou o chocalho é que mexe com ela

Será que a morena cochila escutandoo cochicho do chocalho
Será que desperta gingando e já sai chocalhando pro trabalho

Morena de Angola que leva o chocalho amarrado na canela
Será que ela mexe o chocalho ou o chocalho é que mexe com ela
Será que ela tá na cozinha guisando a galinha à cabidela
Será que esqueceu da galinha e ficou batucando na panela

Será que no meio da mata, na moita, a morena inda chocalha
Será que ela não fica afoita pra dançar na chama da batalha

Morena de Angola que leva o chocalho amarrado na canela
Passando pelo regimento ela faz requebrar o sentinela

Morena de Angola que leva o chocalho amarrado na canela
Será que ela mexe o chocalho ou o chocalho é que mexe com ela
Morena de Angola que leva o chocalho amarrado na canela
Será que ela mexe o chocalho ou o chocalho é que mexe com ela

Será que quando ela vai pra cama a morena se esquece dos chocalhos
Será que namora fazendo bochincho com seus penduricalhos

Morena de Angola que leva o chocalho amarrado na canela
Será que ela mexe o chocalho ou o chocalho é que mexe com ela
Será que ela tá caprichando no peixe que eu trouxe de Benguela
Será que tá no remelexo e abandonou meu peixe na tigela

Será quando fica choca põe de quarentena o seu chocalho
Será que depois ela bota a canela no nicho do pirralho

Morena de Angola que leva o chocalho amarrado na canela
Eu acho que deixei um caho do meu coração na Catumbela

Morena de Angola que leva o chocalho amarrado na canela
Morena, bichinha danada, minha camarada do MPLA




;-)

Escolha de sofia...

Sambar ou não sambar...Eis a questão!




Sambar, é claro!
;-D

segunda-feira, 17 de setembro de 2007

Rave pra mim também é churras!

Só para constar. O Patrik lançou essa máxima depois de termos ficado 12 horas na casa de uma amiga com outros malucos bebendo, comendo carne, bebendo, cantando música ruim à capela e bebendo mais um pouco.

Pois é, essa é a única forma de ficar tanto tempo numa balada!

;-D

domingo, 16 de setembro de 2007

Eu queria ser um smurf


Ontem o Laértico fez uma citação aos Smurfs. Mais especificamente ao Smurf ranzinza: "Eu odeio amoras silvestres!". Eu fiquei com isso na cabeça e comecei a enumerar as vantagens de ser um Smurf.

Eu amo amoras silvestres.
Não pagaria aluguel, porque minha casa seria um cogumelo vermelho de bolinhas brancas.
Todos os problemas seriam resolvidos pelo Papai Smurf.
O maior perigo seria ser perseguido e pego pelo Gargamel, um mago atormentado e inofensivo. E no final, escapar do cativeiro num passe de mágica.
Viver numa sociedade de subsistência, sem ter que trabalhar para enriquecer e depois trampar mais para sustentar a riqueza alcançada.
Viver num mundo sem disputas sexistas, preconceitos (afinal, todos são azuis) e desigualdades sociais.
Não ter a menor idéia do que é aquecimento global e Renan Calheiros.
Não ter que ir a bares, baladas, etc.
Viver uma vida assexuada.

Huuum...pensando bem deve ser um saco ser um Smurf!

:-P

domingo, 9 de setembro de 2007

Eu escrevo, mas não publico

Entrei agora no gerenciador do blog, aquela página onde você escreve, posta e etc, e percebi quer tem pelo menos uns 15 textos que eu escrevi e não publiquei. Pois é, nem tudo é publicável. Muitas vezes a gente sente, senta, escreve, mas não posta.

Nem tudo na vida precisa ou deve ser divido com o mundo. Quantas vezes você pensou coisas e por algum motivo achou melhor não falar? Poederia até ser uma consideração válida, mas você achou por bem não dividí-la...

É quase a mesma coisa. Quase. Porque eu até vomitei as palavras, aqui, no gerenciador, mas na hora de optar entre "publicar postagem" e "salvar agora", eu só salvei. E quer saber, quando as releio sei extamente porque não publiquei.

Cada uma tem seu porém que motivou o veto, mas tem. E é válido. E é por isso que é bom parar, pensar duas vezes, ou até dez se for o caso. Antes de desferir seus pensamentos para o mundo.

Tem muitas coisas que só são para serem pensadas. Há disputas, rancores, ofensas e opiniões, que só devem ficar na sua cabeça. Não que eu esteja defendendo a alta gastronomia de anfíbios, só acho que tem coisas que não precisam e não devem ser ditas. Simplesmente, porque não vai mudar nada e se mudar vai ser pra pior.

Falar é uma tarefa difícil, se fazer entender então, mais ainda. Mas saber calar na hora certa, é praticamente impossível (ainda mais pra mim). Mas, quando a gente consegue chega a ser até recompensador. Sem contar que ajuda a evitar micos, desculpas e até arrependimentos.

Por tanto, na dúvida, não publique. Seja no seu blog ou na vida a errata sai muito mais caro e bem menos gente vai ver.

:-l

domingo, 2 de setembro de 2007

Lets go!

Recentemente eu voltei a estudar inglês. Pois é, eu, do alto da minha foquice jornalística não tenho inglês fluente. É uma merda? É! E por isso não pude mais adiar e tive que encarar um teacher pela milésima vez na vida.

Eu não curto aula de inglês, nunca curti. Tenho até trauma do CCAA! Por isso optei pela maneira menos dolorosa possível: aulas particulares, em casa, com um professor gringo. Lets go!

Para minha surpresa estou descobrindo que meu inglês tupiniquim é melhor do que eu imaginava. Sim, eu consigo ler e entender realativamente bem. Tudo bem que falando eu me sinto como uma criança de dois anos. Mas tá saindo.

E acabei percebendo que eu estava adiando outras coisas da minha vida por puro medo de encarar. Até que chegou uma hora que não dava mais para evitar. Me vi de frente com todos os meus medos e tive que enfrentar e dar conta do recado. E para minha segunda supresa eu dei!

Por algum motivo eu tava me subestimando e esquecendo o que já sabia. Foi preciso tomar uma rasteira de mim mesma para cair na real. E foi lindo me lembrar de quem eu fui, tomar consciência do que me tornei e imaginar até onde posso chegar.

É nego, uma injeção de auto-ajuda na veia é válida às vezes. E você pode descobrir isso até mesmo retomando as aulas de inglês.

See You! Huahuahauahau

;-P