terça-feira, 12 de junho de 2007

O primeiro depois de cinco...

Eu tentei resistir, mas não consegui. O dia já caminha para o final, mas eu tive que postar algo sobre o fatídico dia 12 de junho.

Não quero fazer nenhum manifesto Xiita contra as datas comemorativas capitalistas criadas pelo homem só para movimentar o comércio blá blá blá... Até porque eu super participo delas. Eu presentearia um índio no dia 19 de abril se pudesse e conhecesse um.

Mas que rola uma certa pressão social nessas datas, ah rola! Tipo hoje, dia dos namorados. Você tem ser romântico! Não interessa se está numa fase difícil do relacionamento o planeta inteiro vai te oprimir com paixão, romance e libido no ar.

Como no Natal, quando cunhados vagabundos, sogras rancorosas, noras fofoqueiras e primos sem noção se reúnem em volta da mesa para celebrar o amor e a paz enquanto se entopem de peru, com farofa e salpicão. Ninguém queria estar ali, mas TEM que estar afinal, Jesuis nasceu.

Não é rancor não gente. É só verborragia mesmo. Na verdade eu nunca fui namoradeira. Aliás, passei a maioria esmagadora dos dias 12 de junho sem namorado. E acho que até me saí bem. E também fui muito feliz nos cinco anos em que passei pela data devidamente acompanhada. E hoje, vou passar o primeiro deles, depois de cinco, sem um namo pra chamar de meu. Mas tá tudo certo, exatamente onde deveria estar.

O que não entendo muito bem e me incomoda é a pressão externa. Se você não namora tem que estar murcho ou desesperadamente a procura de alguém. Se namora tem que estar obrigatoriamente flutuando de felicidade engrossando as filas de lojas, restaurantes, cinemas e motéis. Aliás, tem coisa mais de mau gosto do que fila de espera de motel? Deus me livre e guarde dessa má hora!

Em suma. Presentear um namorado é incrível, ficar junto com a família nem se fala e comer chocolate é necessário. Mas não precisamos de datas para isso. E é mais gostoso ainda quando essas ações vêm com espontaneidade.

Como já disse, não estou propondo um boicote às datas comemorativas. Acho que elas até prestam um serviço, porque obrigam os chatos, desligados e rancorosos a demonstrarem, pelo menos uma vez por ano, carinho pelos seus iguais. Mas vamos combinar de fazer isso sem pressão gente!

Love is in the air pra vocês!



;-)

14 comentários:

Joana disse...

Deus nos defenda a todos dos chatos, desligados e rancorosos! E das filas de motel também.

Leonardo disse...

pq motel, né?...
em casa é tão mais aconchegante...

José Maria Granado disse...

O que eu fico mais puto no Dia dos Namorados é com as festas de solteiro. Yuhu!!!!! Solteiro no Rio de Janeiro!!! Ôoo! Ôoo! ÔooÔooooo... Acho que a gente tem que ter respeito com este dia e se recolher a nossa derrota. Se não fomos competentes o suficiente, vamos para casa dormir rápido e torcer para acabar o dia...

Camila disse...

Vou ganhar presente em junho, la la la lá... não vou ter q esperar dezembro, la la la lá...
já tava na hora mesmo!
rsrsrs
To zuando, sobrevivi bem ao dia dos namorados durante 23 anos, sem (quase) nunca ficar com rancor da data.
Agora vou finalmente descobrir se o lado negro da força vale a pena!
;-)

Camila disse...

esqueci de comentar acima, mas fiquei com vergonha desse clipe.

Roberto disse...

quero ver se vc vai estar alegre assim no proximo.

Greice disse...

É isso aí Lars. Todo dia é dia de tudo, a gente é que cria convenções pra justificar a não valorização de momentos que nos escorrem entre os dedos. Eu hoje farei o strogonof que ele adora e usarei o lanjerie que ele me deu faz tempo, mas ainda não usei. Cartinha eu também escrevi e presente eu comprei ontem. Empolgação? Não tanta. Obrigação? Nenhuma. A malha eu queria comprar faz tempo, o dia 12 só facilitou as coisas e me encorajou, já que no fundo eu tô negativa e não devia ter comprado nada, risos. Depois que eu descobri que paixão é patologia, tudo ficou mais simples e LEVE. Portanto relaxe e erga um brinde à sua solteirice, porque até ela passará! ;-)

Marcos Laercio disse...

So me limito a comentar uma coisa:
ODEIO CASAIS FELIZES (e isso inclui vc, camilinha!)
hehehehehehehe
Acho que passei metade dos meus dias dos namorados sem companhia e uma boa parte com..Claro que é convenção, que todo dia é dia de dia dos namorados, blablablá..mas que é danado de bom, ahh, isso é!
E viva o dia dos namorados - mesmo aqueles que nao os tem!

MArcos Laercio disse...

Ah,sim!
Que ser do lodo é esse cantando love is in the air? Eu adorava essa musica, agora estou para sempre marcado pela lembrança daquele cabelo por vaca lambida sem razão de ser!
E ele ainda tem todo um reboladinho que hmm, sei nao, hein...esse cavalo é égua!

Marcos Laercio disse...

Pensando melhor, acho que ele está tendo uma crise convulsiva...

Camila disse...

ai gente, qta hostilidade contra a minha pessoa!!!
Querem um abraço?

Lilica disse...

Ontem não teve presente pra ninguém, cheguei em casa do trabalho quase 23h, comi o resto de uma pizza de anteontem e ainda briguei com o maridão... Affff!!! Isso é que é Dia dos Namorados. Solteira ou não, o dia dos namorados pode ser bom ou ruim... Basta ter criatividade para foder a data ou para fazê-la alegre ao lado do seu anexo ou das suas amigas igualmente solteiras...

Bruno disse...

Incrível! Muito realista! De fato essas datas comemorativas impostas pelo sistema capitalista camufla o verdadeiro significado destas. Sei lá, pensei igual a você somente no dia de ontem (o qual não ganhei presente e nem tive motivo para sair de casa), no natal por exemplo, ganhamos presentes, tudo está bonito, maravilhoso e repleto de harmonia. Acho que o capitalismo alcançou seu objetivo sem dúvidas alguma. Foda-se, vamu continuar arrajando motivos para beber mesmo, melhor nem ligar!

RodOgrO disse...

Não comento mais nada... rsrsrs