quarta-feira, 11 de abril de 2007

Ficar para apagar a luz

Você já ficou para apagar a luz? Eu já! É isso mesmo que você está pensando. Imagine a seguinte situação. Você está num ambiente. Acompanhando de uma, duas, diversas pessoas e, de repente, todos resolvem ir embora e você fica, ali, com a missão de encerrar a festa, limpar tudo e apagar as luzes.

Nos relacionamentos também é assim. Nem sempre a coisa acaba em comum acordo e cada um vai para o seu lado. Não feliz, mas com a certeza de que fez a coisa certa.

Em algumas vezes, a sincronicidade não rola e uma das partes resolve ir embora mais cedo e deixar a luz para você apagar e fazer a limpeza do salão. É aí que o bicho começa a pegar.

Você se vê ali, parado, esperando a festa continuar. Mas que festa? Os integrantes da vida noturna se foram dormir. A banda parou de tocar, não tem mais música, nem comes e bebes. Só você, o chão sujo, inúmeros copos usados e cadeiras caídas esperando que alguém que os limpe.

E você, que queria loucamente que a festa continuasse, que a banda tocasse o bis, só pensa numa coisa: por que? Mas esse é ponto. Não existe porquês! E não tente acha-los. Isso vai te deixar amargo.

A verdade é que ficar para apagar a luz é muito ruim. Ter que limpar a sujeira alheia dói. Principalmente quando a promessa parecia ser a de fazer a faxina junto. Mas acontece. Você, com certeza, já deve ter deixado a luz acesa e sua sujeira para alguém limpar, mesmo que sem saber. Talvez porque tivesse horário para chegar ou só não tivesse assim tão disposto. Na real, a gente só percebe quando somos nós a desligar tudo e sobreviver ao escuro, sozinho, enfrentando o fim da festa.

Mas o bom disso tudo é que outras festas virão. E talvez você não fique para apagar as luzes. Ou melhor, ninguém queira que elas se apaguem...

;-)

9 comentários:

Camila disse...

fecharam-se as portas, sozinho de novo, tive que sair.
Clássica Boate Azul! Nada como a sabedoria sertaneja!
ótimo texto.

ladybug disse...

feche a porta e acenda o gás!

esses emoticons ao final são daqueles, espertos?

vejo você finalizando o texto: ;-)

tô adorando tudo

Pherdna disse...

Outras festas virão mesmo! E penso que existe uma pequena satisfação também ao ver a casa limpinha denovo, mas que dá um trampo da porra limpar dá viu, ô preguiça!

Castilho disse...

E quando é a próxima balada? Bora pra lá!

Bjo,
Bob

GUILHERME disse...

Ahhhhhh...e eu??? pareço aqueles sindicos vitalicios de clube do interior.... sempre fica pra apagar a luz.. SEMPRE! hahahah!!

Mineiro

Joaninha disse...

Quando não tenho mais nada a dizer, recorro a Drummond (e apago a luz, é claro):

E agora, José?
A festa acabou,
a luz apagou,
o povo sumiu,
a noite esfriou,
e agora, José?

O poema todo aqui: http://www.memoriaviva.com.br/drummond/poema022.htm

Tati Rodrigues disse...

Bom, até hoje sempre soube fazer uma faxina de dar inveja a qualquer profissional! Sem preguiça mesmo. Tudo pelo próximo auê.
Porém, confesso que já passei. Espero não ter mais serviço pela frente quando vier a próxima festa.

Lilica disse...

É clichê, mas realmente tudo tem um lado bom. E o lado bom que ficar para apagar a luz é que não tem ninguém olhando...
Bjs,
Li

Greice disse...

Bom sister, vc sabe que nessa coisa de apagar a luz eu tô escolada, ahahah. Tudo bem, não foram muitas vezes, talvez uma só, pra falar a verdade, mas sempre tem aquela que vale por muitas... O bueno é que depois de sobreviver a isso, a gente se fortalece e aprende a andar de olhos vendados, com luz de velas e o escambau. E também compreende aquilo que vc colocou muito bem: em algum momento a gente pode ter deixado alguém de lanterna na mão, sozinho, na Ilha do mel... ;-)