domingo, 15 de abril de 2007

Daqui pra frente

Ontem no Fantástico (Adoro quando a conversa começa assim. Pareço a minha vó querendo dar credibilidade ao assunto) foi lançado um quadro que pretende discutir os desafios de se ter vinte e poucos (ou muitos) anos. Um tema mais que batido e rebatido e que nas mãos do semanal global não deverá sair muito da superficialidade.

Não que eu me proponha a mergulhar nas profundeza desse mar sem fim. Mas confesso que a pauta me fez refletir. Na matéria a Fernanda Lima disse algo mais ou menos assim: "Somos adolescentes com um pouco mais de experiência ou jovens adultos cheios de expectativas?" Sei lá. Acho que oscilamos entre uma coisa e outra. Algo como "I dont wanna grow up!"

Pagar contas, assumir as próprias merdas, construir hoje para colher amanhã, virar gente grande e agir como tal... Num tenho idade para ter 28 anos! Às vezes me vejo com os mesmo conflitos dos 18! Como assim minha gente?

Mas a vida vai te empurrando morro acima. Enquanto isso as pessoas ao seu redor sempre parecendo tão seguras, certas do que querem hoje e de onde estarão daqui 30 anos (Na verdade todos sabemos que seremos torrados pelo aquecimento global, mas vamos pensar hipoteticamente), e você ali, conflitando!

Peeeeem! Mentira! Aposto o meu puf verde que eles também não sabem nada. E como você, também estão se mordendo de medo a cada escolha que são impelidos a fazer.

Mas a prezepada toda também tem lá suas vantagens. Nessa altura da vida você já pode dirigir, decidir a onde e com quem ir, gastar seu dinheiro com o que quiser e até resolver seus problemas sozinho. Você passa a se preocupar menos com o que os outros vão pensar e até deixa de se vestir como se sua honra na rodinha dependesse de uma camiseta do Ramones. Oh que beleza!

Sei lá o que o quadro do Fantástico, que inspirou o nome desse post, vai mostrar. Eu provavelmente não assistirei. Só sei que ter vinte poucos ou muitos anos é meio assustador e até inquisitório, em alguns momentos. Mas também é bom. Acaba sendo um misto de eu posso tudo com eu nada posso.

Posso abrir uma empresa, casar e ter filhos, virar DJ, mudar para Londres ou para uma comunidade hippie. Ser médico, jornalista, advogado, publicitário e, de quebra, salvar o mundo.

Desde que eu acorde cedo todo dia e trabalhe para pagar as contas!

;-)

5 comentários:

GUILHERME disse...

Hey Bob Esponja!!! to com medo de brincar de vinte e poucos..

Joana disse...

É verdade: o Fantástico é raso e a Fernanda Lima mais rasa ainda. Mas a idéia é boa.

É como vc disse, não tenho idade pra ter 27 anos! E tô morrendo de medo.

Pherdna disse...

Quero... tudo ao mesmo tempo agora, uma coisa de cada vez. To meio assim, sei lá, não sei, entende? nem eu...

Tá mandando muito bem no puff. Bjão

Greice disse...

Minha neguinha, magic black woman. Quero sentar nos outros pufs e ler tudinho, é isso? O tempo me sacaneia, mas de sentar no verde já fiquei feliz...
Você tá escrevendo melhor a cada dia, se derramando... e o que escreveu tem tudo a ver, assino embaixo! Como eu sempre digo, fuja de pessoas que se consideram normais e se 'auto-analisam', ahahahah
Depois entra em http://comtexto.incubadora.fapesp.br/portal/poesias/greice/homens-tigres/view
É um mix das últimas emoções...
love u!

Greice disse...

Oh my! O que o comment de outro post tá fazendo aqui? Bueno, sobre esse eu tenho a declarar, que na verdade... bem verdadeira... o que muda é a fase do game. Você amadurece e fica segura de uma porção de coisas que antes te assustavam, mas... adivinha? God/a interior manda mais uns desafios que é pra não se entendiar em sua própria brincadeira, risos... cruel, real, lega, maia! ;-)